fbpx

RECUPERAÇÂO DE SENHA

Presentes com significado

Semana do dia dos namorados é sempre assim ... ficamos todos contagiados com o espirito do Love is in the Air e inspirados a pensar em presentes com significado, feitos à mão ou bordados à mão, por exemplo.

A querida Renata Ciasca, do perfil @colecoes_da_vida, nos presenteou com um texto inspirador que resgata as estórias da família e os valores de um presente com significado.
Esperamos que gostem !!
 
Todo mundo tem uma avó ou uma tia que borda, costura, faz tricô. Na minha família não é diferente.

Minha avó paterna fazia belíssimos tapetes arraiolos (por falar nisso, ano passado conheci a cidade de Arraiolos em Portugal. Me lembrei tanto dela. Mas sobre a cidade eu conto outro dia). Eram semanas e mais semanas com aquele tecido pesado no colo, parecendo a saia de um vestido longo. Em volta dela, agulhas e novelos de muitas cores e não poucas vezes um ventilador para aplacar o calorão que ela sentia em meio a tanta lã.Do lado materno, as roupinhas de tricô que minha tia-avó Zélia fez para bebês da família passaram de pais para filhos e hoje são guardados como tesouros por todos nós. 

O que terá acontecido comigo então? O curso da genética certamente teve seu leito alterado. Não levo jeito prá coisa.

Quando criança ganhei da minha mãe uma tela de ponto cruz que tinha a Turma da Monica desenhada. Junto veio um maço com linhas de todas as cores que eu usaria. Fiquei maravilhada com aquela profusão de amarelo, vermelho, verde, azul.

Já me imaginei bordando por horas como todas as mulheres da família. Eu ganharia o direito de sentar na sala com todas elas e ouvir aquelas conversas de adulto que tinham enquanto bordavam. 

Mas a verdade é que nunca fui além do Sansão. Bordei o coelhinho da heroína dentuça e nada mais. Empaquei.

Por tudo isso, toda vez que vejo um bastidor, um desenho e a possibilidade me bordar, me encanto. Sei que não é fácil e acho uma doação enorme ficar horas com a agulha entre os dedos para chegar a um resultado final que seja harmônico e doce. Que tenha cor e agrade.

Quando fui convidada para ser madrinha da filha do meu irmão, pensei: como presentear essa menininha que, como eu, foi a primeira neta, a primeira mulher de sua geração?

Imediatamente pensei nos trabalhos manuais das minhas avós, tias e mãe. Minha afilhada não conheceu a grande maioria delas mas achei que merecia ter uma representação desse legado que, afinal, também é dela.

Tive a ideia de bordar (contratei uma pessoa, na verdade...dada a minha incapacidade) um quadrinho que representasse o dia do batizado da Marina e que consigo carregasse essa arte dos trabalhos manuais de nossas mulheres.

Ficou uma graça. Uma fotografia feita com bastidor, linhas e cores que representaram tudo que eu queria. A tradição da nossa família documentando um dia tão emocionante e especial na vida da minha afilhada.

Santo Fio

Garzon

Parler

Tina Machado

TOP